“O trabalho que Paulo Betti, Rafael Romão e sua equipe estão fazendo com seu Curso de Adaptação Literária a distância , é um exemplo inovador, um verdadeiro “case” de TRANSMÍDIA. “

Marcos Santuario

realizador do Festival de Gramado e professor de jornalismo digital da Universidade de Passo Fundo

“Foi ótimo tomar contato com o material do curso de adaptação literária, produzido por Paulo Betti e Rafael Romão. Meus alunos do Dept. de Letras da Puc-Rio aproveitaram muito as discussões sobre o roteiro e o filme, baseados na obra de Henry James.”

 

Rosana Kohl Bines

Professora Adjunta do Dept. de Letras da Puc-Rio

“Tivemos o prazer de contar com a presença do ator e diretor Paulo Betti no ato de inauguração de nosso Cine-Teatro em dezembro de 2018. Na ocasião além de compartilhar conosco sua reflexão sobre a produção cultural no País, também disponibilizou o material do curso de Adaptação Literária, um rico conteúdo produzido pelo Paulo e Rafael Romão a partir da experiência da adaptação da obra de Henry James. O conteúdo permitiu um rico e intenso processo de debate e estudo sobre construções de roteiros pelo “coletivo de jovens produtores de Suzano”.”

Geraldo Garippo

Secretário de Cultura de Suzano/SP

“Em 2018, como Coordenadora do Colégio Uirapuru em Sorocaba, desejava inovar o ensino de literatura a partir do uso de recursos tecnológicos digitais. Tal ideia foi possível quando me deparei com uma notícia na TV Tem, filiada da Rede Globo na cidade, contando o trabalho desenvolvido por Paulo Betti nas escolas com o seu filme A Fera na Selva. Aquela notícia vinha de encontro com meus propósitos. Foi fantástico! No mesmo dia procurei na internet pela produtora do filme e tudo começou… Junto com Rafael, Renata e Paulo Betti desenhamos uma proposta pedagógica muito especial, que ofereceu a oportunidade dos estudantes compreenderem como um clássico pôde ser transformado em um belíssimo roteiro para o cinema. Além, de promover uma reflexão a respeito de como a leitura consegue enriquecer nossa percepção e visão de mundo. Durante o trabalho lançamos perguntas aos jovens como:
E, afinal porque um livro é considerado um clássico? O que o define um clássico? Por que será que alguns livros, como a Fera na Selva, escrito há tantos anos, continuam sendo lidos e apreciados por muitas pessoas, de todas as idades, em diferentes países? Como transformar uma literatura em um filme? Essas questões nortearam o trabalho do grupo, que ao final das discussões sobre o escrito de Henry James, fizeram seu próprio curta-metragem exibido no Sarau promovido no Colégio.

Obrigada Paulo Betti e equipe por promoverem esse trabalho nas escolas, pois a Arte e a Cultura são capazes de contribuir e muito com o desenvolvimento pleno de nossas crianças e jovens.”

Elaine Cristina Vieira Cobos

Profª Ms

“A experiência de vivenciar a trajetória de criação de um curta-metragem proposto pelo Projeto do Paulo Betti foi com certeza marcante. Primeiro eu e meus colegas tivemos aulas sobre todo o processo no desenvolvimento de um filme, desde o roteiro, audiovisual, storybook, até a atuação em set. O filme A Fera na Selva desestabiliza a inércia da cinematografia convencional, que nos provoca sentimentos já predeterminados, com histórias que têm como maior objetivo agradar o telespectador. Ao contrário disso, o longa causa incômodo e reflexão. A Fera na Selva me ensinou que no extenso de nossa vida nos frustramos esperando algo extraordinário acontecer e não prestamos atenção no presente e nas oportunidades que surgem. O passado é irreversível.”

Sofia Cobos

Aluna, 15 anos

“Os alunos do Ensino Médio do CEI , RJ, tiveram uma excelente oportunidade de ampliação cultural com a exibição exclusiva do filme “A Fera na Selva” – baseada no texto homônimo de Henry James -, seguida por um agradabilissímo bate-papo com o diretor do filme, Paulo Betti, sobre o processo de adaptação da obra literária para o cinema.”

Renata Porto

Prof. de Língua Portuguesa e Literatura do Centro Educacional Espaço Integrado (CEI)

“Paulo Betti, fazer parte do seu Curso de Roteiro foi muito enriquecedor, principalmente pela simplicidade que portou no momento da conversa de roda. Não precisamos de muito, mas de amor pelo que estamos fazendo. Não vamos ficar ricos, mas com uma riqueza de cultura, sabedoria e encantamento. Foi marcante. As metodologias que aplicou trouxeram bons resultados, acrescentando a sua história e o que foi passado. Competência e habilidades que contribuíram para o meu desenvolvimento profissional , e por meio do aprendizado prático e através da atuação em projetos na minha escola e na paróquia onde atuo. E também agregando valores na minha trajetória escolar e no Grupo de Teatro em que atuo.”

MARIA FLOR DE MAIO OLIVEIRA SANTOS

Profª de História – Escola Estadual Mestre Sebastião Jorge – Conceição do Mato Dentro/MG

“Estamos no primeiro dia oficial da leitura . As leituras ocorrerão todas as terças até o final de setembro e em outubro iremos a seu encontro assistir o filme . Mediação dos professores Verônica Marcílio professora de literatura e Rafael Rodrigues professor de Historia.
Nos reunimos pra fazer este trabalho de leitura do A FERA NA SELVA todas as terças às 11 da manhã. Eles estão empolgados que irão assistir o filme e te ver (Paulo Betti) . “

VERÔNICA MARCÍLIO

Profª de Literatura – Escola Estadual Jorge Zarur – Rio de Janeiro – RJ